Páginas

terça-feira, 1 de abril de 2014

"O amor nunca morre de morte natural. 
Morre porque o matamos ou o deixamos morrer…
Morre com um beijo dado sem ênfase. Um dia morno. 
Uma indiferença. Uma conversa surda…O amor é sempre assassinado. 
Para confiarmos a nossa vida para outra pessoa, 
devemos saber o que fizemos antes com ela." 

- Fabrício Carpinejar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores :